Entrelaçar o Nó na Cabaça e no Aço.

Podem parecer simples, mas os nós dos instrumentos musicais de capoeira têm os seus segredos.  é um método de apertar ou segurar um material linear com a corda por amarração e entrelaçamento.

Na ponta do aço, pode ser entrelaçado o chamado nó direito. Ao arquear a berimba (ou verga), este é dado com uma corda específica para a capoeira: o rami. A cabaça também necessita de uma corda – o mesmo rami –, que é entrelaçada com o nó torto ou o nó cego.

A execução dos nós tem preceito. Por exemplo, para fazer o nó torto na cabaça, é preciso passar o rami pelos furos e deixar as duas pontas para fora. Depois, é só ajustar o nó e afinar o berimbau. Outra forma, também apreciada por muitos capoeiristas, é passar o rami de fora para dentro.

Qualquer que seja a forma adotada, o importante é praticar e procurar que os materiais e as peças fiquem fixos de forma a garantir estabilidade.

veja alguns tipos de Nós.

no_torto_que_entrelaca_a_cabaca_bichodacapoiera

Nó torto ou Nó de marinheiro conhecido na capoeira.

no_cego_com_rami_acessorio_capoeira_instrumento_musical_bichodacapoeira

Nó cego

formato_de_no_direito_rami_acessorio_capoeira_bichodacapoeira

Formato para entrelaçar o Nó direito.

no_direito_com_rami_entrelacado_no_aco_acessorio_bichodacapoeira

Nó direito entrelaçado no aço

entrelaçamento_rami_na_cabaça_acessorio_bichodacapoeira

Entrelaçamento do rami de fora para dentro na cabaça

no_torto_com_rami_acessorio_rami_bichodacapoeira

Entrelaçamento com Nó torto ou Nó de marinheiro

no_rami_acessorio_verga_bichodacapoeira

Nó entrelaçado com rami na ponta do Aço

Revelando 2 segredos guardados sobre acessórios que compõem um berimbau

Estes 2 acessórios simples tinha uma função importantíssima na capoeira

Na falta de rami, os capoeiristas não se atrapalhavam: tiravam os cardarços ou atacadores dos sapatos e amarravam a cabaça ao berimbau.

Já pensou nos dias de hoje um professor ministrar uma aula com um instrumento preparado desta maneira?

O improviso resolve muitas situações. Tanto assim é que, muitas vezes, o espeto do churrasquinho até substituía a baqueta.

O  mais importante era não parar o ritmo. Fosse Angola ou regional, a animação rolava a solta e o zum zum zum estava formado.

Com a evolução desta arte marcial, tais práticas ficaram longe de ginásios, escolas ou mesmo projetos sociais.

As lojas de produtos de capoeira disponibilizam  todos os instrumentos profissionais e acessórios para desenvolver as aulas com perfeição técnica.

Foram-se os tempos do improviso. Bons instrumentos e bons acessórios, como rami, dobrão ou baqueta, fazem toda a diferença.

acessorios_da_capoeira_instrumentos_musicais

Esses acessórios fazem parte da história da capoeira

As pessoas confundem a Capoeira como dança? a capoeira é uma luta

A dança surgiu na pré-história e luta da capoeira na época da escravatura

A dança surgiu na pré-história, quando os homens batiam os pés no chão. Com o passar do tempo, foram dando mais intensidade aos sons, descobrindo que eram capazes de criar outros ritmos e conciliar os passos com as mãos através das palmas.

Apesar de ser uma arte marcial, a capoeira também recorre à dança. Por outro lado, manifestações culturais como o batuque, o maculelê, a puxada de rede e o samba de roda são danças fortemente ligadas à capoeira.

Talvez por isso, a capoeira ainda é, muitas vezes, confundida com uma dança. Este equívoco está relacionado com as suas origens, quando os escravos negros tinham necessidade de esconder ou disfarçar a prática de uma arte marcial.

Da falsa dança da época da escravatura até aos nossos dias, a ginga evoluiu. Hoje, consiste numa estratégia de combate, cujo principal objetivo é evitar que o adversário encontre um alvo fixo.

capoeira de carybé

Vadiação e camaradagem na capoeira

Aprenda a fazer um agogô em 5 minutos

Bote suas habilidade em prática fazendo um agogô com materiais recicláveis

Os restos de materiais podem ganhar vida com um pouco de engenho. Aprenda a construir os instrumentos musicais que vão acrescentar motivação à prática da capoeira, adequados para crianças e adultos a dar os primeiros toques.Continue reading “Aprenda a fazer um agogô em 5 minutos”

Bicho da Capoeira em intercâmbio cultural

 Bicho da Capoeira foi falar com as pessoas e promover seus produtos

Na semana em que se comemorou o Dia Mundial da Criança e o Dia Mundial do Meio Ambiente, a cidade da Amadora desenvolveu um conjunto de atividades dedicadas aos mais pequenos e ao respeito pela Natureza, e o Bicho da Capoeira foi para a rua mostrar os seus produtos e falar com as pessoas.

Neste sábado, 6 de junho, preparámos uma grande ação de intercâmbio cultural e contactámos com pessoas de todas as idades e várias nacionalidades, que experimentaram os nossos berimbaus ecológicos e pandeirinhos.

Foi um sucesso. Muitos já conheciam a capoeira, outros ainda não, mas todos quiseram tocar os nossos instrumentos e dizer o que pensam desta arte marcial ancestral que engloba várias artes.

Uma vez mais se provou que a capoeira tem o poder de unir e, não por acaso, conquista cada vez mais corações.

ser_capoeira_ser meio_ambiente_bichodacapoeira

Ser capoeira é contribuir para o meio ambiente cada vez melhor.

6 bons motivos para você praticar a capoeira

São 6 bons motivos para ficar bem com o corpo e a mente

A capoeira pode ser praticada por qualquer pessoa. As aulas  são altamente eficiente destacando como  luta, dança, arte, cultura tradicional além de ter um forte intercâmbio cultural.

A Pratica desportiva conduz sempre para uma melhor qualidade de vida.

A música oferece uma oportunidade para relaxar e esquecer o stress do dia-a-dia.

A capoeira é uma arte marcial com características únicas, que recorre a instrumentos musicais.

Tocar o berimbau consiste em desenvolver domínio, equilíbrio, noções de espaço e tempo, o ritmo e música.

6 super dicas para praticar a capoeira.

  1. Ajuda a libertar todo stress acumulado do dia.
  2. Aprimora a sua coordenação motora.
  3. Aumenta a autoconfiança.
  4. Deixa teu corpo em grande forma.
  5. Além desenvolver e estimular o respeito.
  6. Desenvolve um raciocínio rápido.

Sabendo de todos  benefícios que tal começar seu plano de  ação com muita energia  física e mental praticando a capoeira em um espaço mais próximo onde você mora?

Sua-vida-sem-dor-em-8-semanas

Sua vida sem dor em 8 semanas

Clique no Banner acima para saber mais! 

Porque aprender a tocar um instrumento musical de capoeira?

Aprender a tocar um instrumento musical melhora a sua memória

A aprendizagem de um instrumento musical melhora a memória, a atenção e o pensamento lógico.

Não importa se é instrumento de capoeira ou outro, o importante e você aprender a tocar de acordo com aquilo que você  gosta e sonha em aprender para desenvolver o seu  dom e melhorar suas capacidades, habilidades como tocador e músico.

Além disso você vai ter algumas  vantagens sobre quem não toca um instrumento.

Saiba sobre os benefícios que vai ter:

  • Incentiva a auto expressão
  •  Aumenta a capacidade de escutar
  • Estimula a coordenação e a concentração
  • Melhora a gestão do tempo, as habilidades organizacionais e a disciplina
  • Desenvolve o trabalho em equipa e as relações sociais
  • Ensina a perseverança e ajuda a construir um sentimento de conquista
  • Promove a transmissão da cultura

Veja nesse video como o nosso cérebro reage com o efeito da musica.

Qual a origem da mandinga na capoeira?

Ter a origem “mandingo” faz toda diferença dentro da capoeira

Mapa-rota-dos-mandingosOs mandingos são um dos maiores grupos étnicos da África Ocidental, com uma população estimada em 11 milhões. Originários do atual Mali, os mandingos ganharam a sua independencia de impérios anteriores no século XIII. Migraram para oeste a partir do rio Níger à procura de melhores terras agrícolas e de mais oportunidades de conquista.

Através de uma série de conflitos, metade da população mandingo converteu-se ao islamismo. Hoje, cerca de 99% dos mandingos em África são muçulmanos, com algumas pequenas comunidades cristãs.

Durante os séculos XVI, XVII e XVIII, cerca de um terço da população mandinga foi embarcada para a América como escravos, após a captura em conflitos.

Mandinga no Brasil Colonial era a designação de um grupo étnico de origem africana, praticante do islamismo, possuidor do hábito de carregar junto ao peito, pendurado em um cordão, pequeno pedaço de couro com inscrições de trechos do Alcorão, que negros de outras etnias denominavam patuá.

Por serem mais instruídos que outros grupos e conhecerem a escrita, eram geralmente escolhidos para exercer funções de confiança. Costumavam usar turbantes, sob os quais normalmente mantinham seus cabelos espichados. Diversos negros de outras etnias, quando fugiam, também espichavam o cabelo e usavam o patuá em um cordão junto ao peito, porém sem as inscrições, para tentar disfarçar o fato de não serem livres. Mas os mandinga tinham o costume de se reconhecer mutuamente recitando trechos do Alcorão uns para os outros. Caso o negro interpelado não recitasse o trecho correto, o capitão do mato de etnia mandinga, capturaria o fugitivo imediatamente.

No contexto da capoeira, mandinga representa a habilidade do capoerista em surpreender (enganar) o oponente, como uma espécie de “malícia de jogo”. Esta “esperteza” é muito apreciada e consta na letra de diversas canções. Em alguns casos o conceito pode apresentar um sentindo mais amplo envolvendo igualmente uma maior desenvoltura do capoerista durante jogo, com movimentos mais audaciosos na ginga, golpes e esquivas.

Casa de apostas 22bet


1xbet